Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Namoro adolescente

45.jpgEu tenho 16 anos quero namorar uma menina de 16. Eu posso fazer isso ou é crime? A minha tia não quer deixar. Diga-me o que fazer com esta situação.

Caro Leitor,

Aos 16 anos já tem idade para namorar. O namoro a "sério", que envolve paixão, amor e, eventualmente contato físico começa por volta dos 12, 13 anos. Os pais jovens têm mais abertura para aceitar a vida sexual dos filhos. Converse com a sua tia e explique-lhe as suas intensões com a namorada. Diga-lhe que encara o namoro como uma relação prolongada, porque ainda têm muita coisa para concretizar antes de uma possível partilha de casa: estudos, carreira profissional, autonomia financeira, etc.

Fale com ela à serio e mostre-lhe a sua maturidade e vai ver que ela vai deixar.

 

 

São Valentim

3.jpg(Etapas da reconstrução facial de são Valentim)

 

São Valentim é um santo reconhecido pela Igreja Católica e pelas Igrejas Orientais que dá nome ao Dia dos Namorados em muitos países, onde o celebram como Dia de São Valentim. O nome refere-se a pelo menos três santos martirizados na Roma antiga.

 

O imperador Cláudio II, durante seu governo, proibiu a realização de casamentos em seu reino, com o objetivo de formar um grande e poderoso exército. Cláudio acreditava que os jovens, que não tivessem família, ou esposa, iam alistar-se com maior facilidade. No entanto, um bispo romano continuou a celebrar casamentos, mesmo com a proibição do imperador. Seu nome era Valentim e as cerimónias eram realizadas em segredo. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte. Enquanto estava preso, muitos jovens jogavam flores e bilhetes dizendo que os jovens ainda acreditavam no amor. Entre as pessoas que jogaram mensagens ao bispo estava uma jovem cega, Artérias, filha do carcereiro, a qual conseguiu a permissão do pai para visitar Valentim. Os dois acabaram apaixonando-se e, milagrosamente, a jovem recuperou a visão. O bispo chegou a escrever uma carta de amor para a jovem com a seguinte assinatura: “de seu Valentim”, expressão ainda hoje utilizada. Valentim, depois da condenação de morte, foi decapitado em 14 de fevereiro de 270.

 

Entretanto, desde 1969 sua data não é mais celebrada oficialmente pela Igreja Católica em função da precariedade de comprovações históricas que levam em questão até mesmo a sua existência.

Feliz dia dos namorados!

Namoro adolescente

namoroadolescente.jpg

 

 Meu nome é I., tenho 51 anos e uma filha de 12 anos que anda a namorar com um rapaz de 16, isso é ilegal? O que devo fazer, trata-se de um individuo com historial de drogas e violência. Agradeço desde já a ajuda

 

Cara I.,

A sua filha está num namoro prematuro e prejudicial. A comunicação entre pais e filhos é essencial nesse caso.

 

Converse muito com ela sobre as possíveis consequências de seus atos e fale da importância que esta pessoa seja da sua idade ou de idade próxima, que compartilhem os mesmos princípios, valores e crenças pessoais e familiares. Esse rapaz não pode namorar com ela pois irá prejudicar a vida de sua filha em todos os sentidos.

O papel dos pais é buscar que seus filhos vivam com intensidade o que é próprio da idade juvenil, isto é, que cada etapa seja aproveitada em extensão e plenitude com as experiências necessárias ao amadurecimento pessoal, sem os obstáculos apresentados por uma relação afetiva prematura.

 

Fique perto de sua filha e não permita que essa relação continue, aos 12 anos ainda não tem maturidade para decidir e nem para namorar.

Caso não consiga sozinha encaminhe-a para uma consulta de psicologia para que possa ajudar nesta e quiçá outras questões que estejam por trás.

 

Tudo de bom

Namoro complicado

guell1.jpgNome: E

Olha, estou precisando de ajuda... Tenho relacionamento a 2 anos e 7 meses não é de hoje que nosso relacionamento está muito frio, caiu na rotina. Temos brigas, sem compreensão, não temos mais nossas intimidades está tudo frio. Há um mês nós demos um tempo de 1 semana para ver o que queríamos, mas eu não consegui ficar sem ela. Liguei para ela todos os dias e não respeitei o tempo dela. No domingo quando íamos resolver ela me disse que não sabia mais o que queria ... Que não conseguiu pensar... E que estava confusa, se me amava mesmo. Sempre tivemos planos juntos para casar, crescemos juntos e ela ainda esta comigo, mas não sei se ela empurrando esse relacionamento com a barriga ultimamente ela anda muito stressada com a faculdade e coisas familiares...

Ela as vezes me diz coisas que me magoam, mas eu fico na minha, não retruco e tento entender...

Mas isso está me machucando a cada dia que passa, eu não sei o que fazer estou precisando de ajuda....

Caro E.,

Se gosta dela precisa ter paciência e seguir em frente para ver no que vai dar, embora sem permitir que ela o magoe. Use a sua razão para retrucar quando for o caso disso. Ninguém gosta de um namorado que não toma posições e que não defenda seu ponto de vista. Pode ser que ela já não goste mais de si ou que a relação tenha esfriado, ou que ela sinta a necessidade de ter novas experiências. Se for assim não tem jeito, é preciso se conformar e procurar esquecê-la, nada que não possa superar.

 

Se entretanto continuar a se sentir muito confuso pode procurar ajuda especializada. A psicoterapia vai ajudá-lo a se conhecer melhor, a agir com assertividade e a ser capaz de usar as suas próprias possibilidades de existir.

 

Fique bem

 

 

 

Amor líquido

cupido.jpg

 

 

Segundo o sociólogo polonês radicado na Inglaterra Zygmunt Bauman, um dos intelectuais mais respeitados e produtivos da atualidade, está-se a viver uma modernidade líquida ou pós-moderna. Esse período se traduz num mundo cada vez mais fragmentado e de um sujeito cada vez mais confuso consigo mesmo, com o espaço que ocupa e com o tempo que o rodeia.

 

Essa crise provocada pela modernidade líquida assola o indivíduo com o individualismo e o narcisismo exacerbado. Vive-se hoje num mundo fragmentado, sem referências e à deriva. Essa nova realidade tem afetado diretamente o cotidiano das pessoas, trazendo interferências negativas e em especial nos relacionamentos.

 

Bauman reflete sobre esse retrato do mundo contemporâneo e fala em “amor líquido”, tanto nos relacionamentos pessoais como no convívio social cotidiano, numa sociedade mediada por tecnologia e diz: (...) talvez seja por isso que, em vez de relatar suas experiências e expectativas utilizando termos como “relacionar-se” e “relacionamentos”, as pessoas falem cada vez mais (auxiliadas e conduzidas pelos doutos especialistas) em “conexões”, ou “conectar-se” e “ser conectado”. Em vez de parceiros, preferem falar em “redes”. (BAUMAN, 2005)

 

Desta forma, a internet assumiu a função de conectar pessoas, formar redes de relacionamentos, cada vez mais flexíveis e esta modernidade líquida criou uma nova era nos relacionamentos, que estão cada vez mais fragilizados e desumanizados.

 

É importante refletir e pensar-se nessa era do “amor líquido” em algumas questões: Como viver junto? Como conviver com o outro? Como amar? Questões que se facilmente são ultrapassadas pelo amor, não devem ficar esquecidas para alcançar um relacionamento mais sólido e autêntico dentro desta liquidez contemporânea.

 

Feliz dia de São Valentim!

coracao.gif

 

 

 

 

 

Namoro e violência

 

paularego23.jpg

 

Olá  Dra., tudo bem? Bom, terminei um namoro de 2 anos já há 8 dias, mas já vínhamos brigando muito  frequentemente, e entre nossas brigas ele sempre apresentava uma certa agressão, até que um dia me deu um tapa no rosto e acabei perdoando-o. Nossa última discussão, ele novamente me deu um tapa e me ameaçou de morte, disse que se ele não tirasse minha vida, iria mandar outra pessoa tirar, depois daquele dia monstruoso não nos vimos mais. Até conversamos depois, mas ele muda completamente de uma hora para outra, num momento esta bem, pede pra voltar, no outro já me xinga , diz que vou sofrer também.. Ando com muito medo dele, não sei o que ele pode ser capaz de fazer !!! Me ajude

 

Cara leitora,

Se ele é agressivo, violento e brigam muito, é melhor desistir do namoro. O importante é não se deixar agredir, é preciso cortar o mal pela raiz e não aceitar nenhum tipo violência. É preciso prevenir, já que o comportamento agressivo pode piorar com o tempo. Um namoro exige antes de tudo respeito e cuidado. Não tenha medo e não caia em tentação de acreditar em falsas promessas, afaste-se dessa pessoa e se ele ameaçar pense em denunciá-lo.

Fique bem

 

 


 

 

 

 

Diferença de idade

 

 

 

 

Bom dia, 

 

É possível um relacionamento dar certo com uma diferença de idade física muita grande (43 anos)? O meu medo é que ele mora primeiro que eu e eu ficar aos 40 anos sozinha.

Eu sofro muita em me tentar relacionar com alguém devido a separação dos meus pais e vejo a Imagem que homem não prestar. Mas mesmo assim sinto falta de alguém do meu lado.

 

Este atual relacionamento que eu estou sem saber se continuo ou não o que atrapalha é a diferença de idade pois ele me trata super bem, não tem filhos e eu sou estudante de Direito e ele é professor e tem outro emprego também nossa alma quando conversamos da muito certo  porém tenho medo de estar misturando isso por admiração estamos há 2 meses juntos e eu não sei o que faço da minha vida .(Ele é super conservado e nem parece ter a idade que tem e até mais animado que eu e me faz bem .)

 

Pode dar-me uma dica sugestão ou um conselho?

 

Obrigada

 

 

Desejo sexual

 

 

 

 

Olá, boa tarde!

 

Achei seu blog pesquisando algo sobre ciúme da ex-mulher, li e reli várias matérias para tentar me encontrar, mais como muitos fizeram resolvi também pedir sua ajuda.

 

Tenho 45 anos, fui casada durante 10 anos, traída e tive outros relacionamentos sérios com outros homens. Estou atualmente namorando a 1 ano e 6 meses um homem de 58 anos que por 5 anos era meu colega e confidente por algumas vezes.

 

Quando amigos eu não tinha nenhum desejo amoroso por ele, mais ao começarmos eu fui me apaixonando. O problema é que mudou muito, não saímos, vive dizendo que não temos condições e que precisamos economizar, alega que gosta de ficar em casa e o pior, não me procura mais sexualmente a um mês, pois afirma que sexo não é tudo, que temos que direcionar nossas energias para o estudo, as conquistas. Tem mantido contato telefónico com a ex-esposa e alega que só são amigos.

 

Estou insegura, ele nega tudo que questiono sobre voltar para a familia dele, diz que me ama mais não tem desejo por mim.

 

Tenho tentado me afastar cada vez mais dele, evito ligar, manter contato durante a semana e finjo que estou bem nos fins-de-semana que estamos juntos sempre em casa, comendo e assistindo TV.

 

Sou fogosa, tenho desejo por ele, estou com baixa estima. Não quero acabar como nosso relacionamento, mais não sei o que fazer, me sinto desmotivada para reverter essa situação quanto mais tento ser carinhosa, mais ele se afasta.

 

Pode me orientar por favor.

 

Obrigada!!

 

 

Namoro pré-adolescente

 

 

 

Estou precisando de um conselho, bom o assunto, deve até ser comum para a Doutora, mais pra mim é um tanto complicado.

 

Tenho uma filha de 12 anos, e não sou casada com o pai dela, e ela mora com a avó paterna. Bom recentemente descobri que ela está de namorico, com um garoto de 14 anos, e fiquei muito preocupada, porque ela só tem 12 anos.

 

Na hora que descobri, briguei com ela, mas em tom suave, só chamei a atenção e disse que não tinha problema, contanto que conhecesse o garoto e a família dele. 

 

Mas agora ao pensar, que o meu bebé está namorando, não sei como agir, não sei o que fazer, o que falar. Se conto ou não ao pai dela. Enfim esses tipos de dúvidas.

Por mim ela não namorava ainda, só depois dos 14 15 anos, 12 anos ainda é muito nova.

 

Adicionei, o rapaz no meu facebook, para sondá-lo e  disse que quero conhecê-lo e a mãe dele, ele disse que sem problema que é para marcar algo. Pareceu-me bem interessado nela.

 

Não sei o que fazer nem como agir, me oriente.

 

Desde já eu agradeço seu conselho.

EI.

 

Cara EI.,

 

As crianças actualmente se apaixonam cada vez mais cedo.

O primeiro amor exerce um papel essencial na forma como o indivíduo irá se relacionar com o mundo e com as pessoas no futuro. Por isso, ele não pode ser tratado como simples brincadeira. Quando é correspondida, a primeira relação amorosa faz muito bem. Eleva a auto-estima e faz as crianças se sentirem valorizadas. Além disso, a sexualidade começa a ser definida neste período.

 

 

Muitos se separaram de seus primeiros romances por conta dos pais. Por isso, se a pessoa não estiver fazendo mal à sua filha, deixe-os em paz, um ponto importante é o respeito à privacidade da jovem. Nada de bisbilhotar o computador em busca de provas.

O que é preciso é acompanhar e orientar com cuidado e para isso se ela mora com a avó, convém contar para o pai dela, para que possam acompanhar, mas sem invadir-lhe o espaço. Conhecer a família, pode ser tranquilizador, mas procure não se impor.

O desafio é criar ferramentas para que um sentimento nobre, não anule, por ironia, a alegria de viver típica desta faixa etária.

 

Felicidades

 

 

Namoro longo

 

 

Bom dia Dra Mariagrazia!

Encontrei seu blog em algumas pesquisas de 'desespero', não sei se seleciona as perguntar do e-mail e posta no site, mas enfim queria exemplificar minha história e quem sabe encontrar alguma 'solução'. Mês que vem completo 8 anos de namoro! Não sei se é algo tão normal, ainda mais tratando-se da nossa idade, eu tenho 22 anos e ele 23! É fato que nos amamos, ou é fato que estamos acomodados, a questão é: não consigo diferenciar os sentimentos, só sei que quando brigamos e ficamos longe eu sinto muita falta, eu quero casar com ele, construir uma família, e o que me deixa triste é saber que ele não quer, e já disse com todas as letras!


Depois com tantas conversas e dramas, ele diz que quer sim casar, mas não agora, mais pra frente, resumindo, ele não me passa previsões, não mostra interesse, nem planos sobre esse assunto, não quer ver nem aliança de noivado!! Isso me faz sentir um lixo de pessoa, fico achando que o problema sou eu, que ele enjoou, que sou feia, que não sou atraente, mas em contra partida penso, então porquê ele está comigo????

Já passamos por muitas crises, mas estamos ai até hoje, mas eu sei que ter começado a namorar cedo atrapalhou tudo, eu sou a primeira namorada dele, e ele meu primeiro! Sei que um lado dele quer ficar comigo, mas outro quer ter outras experiências. Isso me deixa muito insegura, com ciúmes, fico sempre desconfiada, achando que ele fica 'cobiçando' outras mulheres, melhores que eu. Não sei o que fazer, nem o que pensar, vejo minhas amigas montando tudo para casar e o parceiro ali do lado companheiro e não vejo isso no meu, de 8 anos !

 

Dói demais, ainda mais que TODO mundo pergunta, vcs não vão casar??? Vão casar quando?? Ainda estão namorando??? Não sei se é medo do novo, sair da acomodação da casa da mãe, se ele enjoou de mim, se não tem certeza que sou a pessoa certa, se gosta de outra, se esta acomodado. Mil perguntas já se passaram na minha cabeça. E mil desculpas ele já deu, antes era: ta onde vamos morar? Só que estamos vendo uma casa agora (mas parece que ele só vê isso como um investimento e não um lugar nosso pra morar) Nós dois trabalhamos e nos formamos esse ano, não tem mais desculpas sabe?! Não sei se terei alguma resposta deste e-mail, mas desabafei.

Não sei se irá me responder mas desabafei!

Agradecida

B.

 

 

Cara B.,

 

Acontece que vocês são muito jovens e atualmente os casamentos acontecem um pouco mais tarde e seu namorado ainda não está mentalizado para um compromisso. Será que vocês estão acostumados um ao outro e é por isso que estão juntos?

É viver e tentar perceber o que é que vos une se é amor ou se é hábito. Talvez seja o momento de avaliar em função do momento de vida de cada um, se a relação está apresentando sinais de desgaste ou se o que esperavam da relação quando a iniciaram se modificou.

 

Caso exista amor e vontade de permanecer juntos é necessário muito diálogo, para que fique claro quais são os planos e sonhos de cada um.

 

Tudo de bom