Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Sensações estranhas

9.JPG

Doutora,

Boa tarde!

 

Espero, do fundo do meu coração, que este E-mail seja respondido! Estou apostando minhas últimas fichas em você. Espero poder ser ajudado e retribuir de alguma forma!

 

Tnho 24 anos e há aproximadamente 10 dias estou sentindo constantemente, 24 horas por dia, algumas sensações estranhas.

 

Sinto como se eu tivesse tomado um remédio muito forte, que influenciasse nas minhas habilidades mentais de pensamento, raciocínio, memória e capacidade de resolver problemas. Parece que tudo ficou mais difícil. Me sinto como se eu tivesse ficado "burro" de uma hora para outra. Me sinto lerdo, sinto que eu preciso fazer um esforço muito maior para realizar tarefas simples que envolvem raciocínio.

 

Além da sensação de estar dopado, de estar dentro de uma bolha, tenho efeitos visuais constantes semelhantes a chuviscos, manchas ao redor do ponto em que foco a visão, e quando começo a prestar atenção nestes pontos parece que estou olhando para uma TV sem antena.

 

Sinto-me como se fosse um zumbi as vezes. Parece que 60% do meu cérebro funciona. Fui ao psiquiatra e ele não me soube dar um diagnóstico. Fui ao psicólogo e ele tenta-me ajudar como se eu tivesse criado isso, contudo cabe esclarecer que todos esses sintomas são involuntários.

 

Não tive nenhum episódio de decepção recente. Não sofri nenhum trauma. Foi espontâneo, algo do nada.

 

O meu neurologista pediu que eu fizesse uma ressonância magnética do crânio e está tratando isso como se fosse uma enxaqueca! Me receitou alguns remédios para ansiedade. Sempre fui ansioso e nunca fiquei neste estado!

 

Estou começando a me desesperar pois é difícil tentar tratar algo sem saber o que é.

 

Muito obrigado por tudo até o momento!

 

Caro leitor,

o seu tratamento está adequado: psicoterapia, psiquiatria, neurologista e ressonância magnética.

A ressonância vai dar alguma pista ou pelo menos mostrar que não há nada de anormal no lado físico e a partir daí poderá elaborar o melhor tratamento.

 

Compreendo que essa situação de não saber o que tem lhe cause um excesso de ansiedade que certamente lhe agudiza os seus sintomas.

Mas é preciso paciência e esperar pelos resultados. Não tenho infelizmente nada de novo para lhe dizer, mas espero que possa com os exames médicos descobrir as causas do seu problema, ser tratado adequadamente e que continue com o psicólogo que sem dúvida vai ajudá-lo a gerir da melhor maneira esse momento difícil.

 

Tente não ficar focado nisso, mas aproveite os seus dias da melhor maneira.

Tudo de bom e melhoras!

Um abraço.

Mariagrazia Marini

Medo de não respirar

Salvador Dalí

 

Boa tarde, desde há dois anos para cá a minha vida é um inferno... Vi um vídeo de um menino que estava todo entubado, e que estava a respirar mal e desde aí comecei so a pensar em como eu respiraria com aqueles tubos. Desde ai a minha respiração (inspiração/expiração) parece que deixou de ser inata. E isso custa me, pois faz me ficar com falta de ar. Mas fui me controlando e me esquecendo disso, de vez em quando é que me lembrava disso e pronto lá tentava eu mudar o pensamento...
 
Mas desde há 4 dias que não faço se não outra coisa a não pensar na minha respiração. Tenho estado com falta de ar constante, e o pior é quando me eito pois aí não tenho nada em que pensar ou fazer para desviar o pensamento, e deitado sinto a minha respiração, o que me faz ficar com imensa falta de ar... Mas não se trata de ansiedade até porque eu estou muito calminho... E depois o problema é que as vezes já nem sinto mais vontade de respirar, pois já me sinto cansado de algo que me era inato, agora ter passado a algo que eu tenho de pensar para fazer... Isto é normal? Existe mais pessoas como eu? O que poderei fazer?
 
Cumprimentos,
C.C.