Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Massagem sensual

 

 

Dr.ª Mariagrazia. Aproveito este espaço como profissional que é para lhe propor esta questão.

 

Já tenho 59 anos 30 anos de casado e em que nunca tive outra parceira senão a minha esposa até há um ano atrás, mas ultimamente, ou pelo facto da minha esposa já não ser menstruada e termos recorrido a um lubrificante vaginal causando alguma perda de sensibilidade pelo menos da minha parte, ou por nem sempre ela estar disposta a fazer amor, começou a causar-me bastante ansiedade levando-me muitas vezes a masturbar-me sozinho na casa de banho.

 

Ultimamente comecei a frequentar uma massagista sensual que me tem dado muita prazer, pois além das massagens em si temos uma relação sexual muito intensa no final e que vem em certa medida manter-me uma certa estabilidade emocional. Sei que não o devia fazer mas estou a fazê-lo por uma questão de terapia.

 

Será que algo de estranho se passa comigo? Gostava que me desse um conselho.

 

 

Pensamento de Sabedoria

 

 

Desfrute mesmo que de pouco

 

Cada prazer é um bem pela sua própria natureza.

 

Cada dor é dolorida, mas não podemos sempre fugir  da dor.

 

Precisamos julgar um e outra com base na utilidade e nos danos.

Às vezes revela-se que o bem se traduz num mal e um mal se traduz num bem.

 

Consideremos também a independência das necessidades, não porque devemos ser felizes sempre com pouco mas se por acaso temos pouco, convencidos que somos que a abundância se aproveita com mais doçura se dependemos menos dela. 

EPICURO