Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Não consigo amar

17.JPG

Tem traumas na vida que eu acho que nunca ultrapassamos, tem certas coisas que acontecem que acabamos por desejar que fosse apenas um sonho, mas infelizmente chega um dia que acordamos e temos que encarar a realidade, mas dói tanto, tanto.

Tem uma hora que percebes que te fechaste para as pessoas que te amam, que fizeste elas sofrerem e as vezes o arrependimento é tanto que entras num mar de lágrimas, choras compulsivamente e mesmo assim a dor não desaparece.

As pessoas magoaram-me tanto, que o meu corpo criou uma barreira para eu esquecer o que eles me fizeram, mas tem vezes que mesmo assim eu choro muito de raiva, eu já não consigo controlar o que sinto, parece que eu vivo sem viver, acordo mas eu não sou eu, eu nunca mais fui a mesma. Rejeitei, ignorei, maltratei a única pessoa que eu sabia que amava, eu sou burra.

Não consigo amar quem eu amo, não consigo esquecer o passado

 

Cara leitora,

 

Não podemos ficar presos no passado e paralisar a nossa vida.

É preciso dar um impulso na vida, sair dos acontecimentos de arrependimento e dos “deverias” assim como os navegadores portugueses tinham de enfrentar quando atravessavam o cabo das tormentas. Os sentimentos negativos das decepções de passado, as perdas e fracassos podem criar uma base de mágoa e infortúnio, levando a que a pessoa perca a esperança e firme a ideia de que é tarde demais para mudar a sua vida para melhor.

 

Apesar de não podermos alterar o que aconteceu, é possível reinterpretar esses acontecimentos de forma a poder aceitá-los, percebê-los e superá-los. Ao entrar neste processo de superação de situações consideradas traumáticas ou angustiantes, vai deixar de se sentir refém do seu passado menos bem conseguido.

O diálogo interno autocrítico de cariz negativo torna-se tão sedimentado, que muitas vezes não percebemos que temos o poder de mudá-lo.

Num estado de negatividade, mesmo aquilo que ainda temos de bom na vida fica afetado, deixamos de olhar para o que ainda faz sentido na vida. Aceite, tenha compaixão e siga em frente.

 

Está sempre em tempo para mudar. Se tem a consciência do que correu mal no passado, é procurar modificar algumas das suas atitudes para tornar o presente e o futuro melhor.

Se não conseguir sozinha procure ajuda especializada. Uma psicóloga poderá ajudá-la a recuperar a sua estabilidade emocional e retomar o rumo da sua vida presente e futura.

 

Fique bem

Aceitação do filho

marioeloy.jpg

 Bom dia!!!! Eu me separei há 3 meses quase e estou grávida de 8 meses dele e no dia que descobri que eu estava grávida também descobri que ele estava "namorando" escondido na casa da mãe dele, eu fiquei sem chão e resolvi mandar ele embora... Eu acabei ficando muito triste e temos um filho de 12 anos que tem momentos de amor e ódio...Às vezes quando o pai dele fica mais próximo de mim ele fala que não quer que ele venha em nossa casa e que não queria ele como pai... Meu ex ainda me procura porém está namorando... Tem vezes que ele vem na minha casa w brinca com nosso filho que vai voltar para casa e filho fica revoltado eu sempre falo com ele que o meu relacionamento com o pai dele não tem nada com ele... Às vezes tenho até a impressão que ele odeia o pai dele porque brigou comigo falando que a culpa e toda minha que não soube escolher um pai para ele .... Me ajude por favor, não sei mais o que fazer para arrancar este ódio do coração do meu filho.

 

Cara mãe,

Essa situação do filho ficar revoltado diante de infidelidade do pai é comum. Acontece que o filho sofre por ver a mãe sofrer e se revolta com o pai causador desse sofrimento. É a infidelidade dos pais vivida pelos filhos. Cabe a si falar com ele e explicar que situações assim como a vossa acontecem e que é vocês que irão resolver.

 

Descobrir que o pai trai a mãe é uma situação aterradora para qualquer adolescente e até mesmo para um adulto. O conflito de lealdade aparece misturado com a mágoa e com a raiva. O pai traiu a mãe, mas o filho também se sente traído. Na adolescência é necessário os pais terem uma relação sólida para darem segurança ao jovem. Se a traição acontecer numa fase em que o pai é muito importante e idealizado é um desgosto enorme para o filho e pelo seu egocentrismo pode até pensar que a culpa foi sua. Portanto, é sempre uma situação que envolve muito sofrimento.

 

A melhor opção é procurar ajuda psicoterapêutica para que seu filho tenha um acompanhamento e uma compreensão clara da situação, mas de qualquer forma fale com ele e explique sem culpar o pai e nem mostrar o mal que sente para não aumentar o sentimentos de ódio e ressentimento contra o pai.

Um abraço

Muita raiva

picasso42.jpg

 

 

Olá, preciso de ajuda e não tenho com quem conversar, as vezes explodo por não ser compreendido e não consigo expressar o que sinto. Estou perdendo minha noiva por conta dos meus ataques de raiva que vem sendo muito frequentes, tento me controlar mas não consigo. Não sei mais o que fazer, as vezes me Machuco e destruo tudo que tem a minha volta, só queria dizer o que sinto e ser compreendido.

Ass. C.

 

Caro C.,

Pensamentos disfuncionais aparecem com frequência durante situações em que a raiva é excessiva, além de crenças irracionais.

Procure perceber o que sente e o que faz despoletar a sua raiva para tentar controlar.

Enfrentar a raiva é como um jogo que exige concentração, estratégia e capacidade para identificar o alvo. É preciso descobrir o que nos faz perder o controlo e com paciência eliminar ou aprender a gerir os problemas.

 

Métodos que ajudam a pessoa a lidar melhor com a explosão de raiva e a controlar os impulsos e a ansiedade:

-Respire! Inspirar e expirar profundamente o ar ajuda a oxigenar o cérebro e relaxar a musculatura.

-Pratique atividade física regularmente.

-Levante hipóteses sobre o conflito, ele pode não representar um ataque direto contra você.

-Mude de ambiente e afaste-se da pessoa ou situação que causou a tensão. Dessa forma, você conseguirá encarar o problema de forma mais controlada.

 

Se não conseguir sozinho procure ajuda profissional, pois essas explosões podem piorar e estragar a sua relação e dificultar a sua vida.

 

Fique bem