Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Rejeição ao sexo

24.jpg

 

Boa noite,

eu namoro vai fazer 2 anos, sempre fui apaixonada pelo meu namorado, porém de um mês pra cá eu não suporto mais fazer amor com ele, e nem que ele me toque. Amo-o muito e não sei oque fazer, me sinto triste pois ele esta se sentindo rejeitado.

 

Cara Leitora,

Se gosta de seu namorado, não é normal sentir repulsa em fazer amor com ele. Talvez tenha surgido algum pensamento ou alguma crença tóxica em relação ao namoro que esteja a prejudicar a sua libido e que se manifesta inibindo o seu desejo na relação sexual com seu namorado. Tente perceber o que vai na sua mente para que consiga ter algumas pistas que a ajudem a superar isso, sem ofender e nem prejudicar a si e ao seu namorado.

 

Caso a situação se mantenha e continue a se sentir assim, procure uma consulta de psicologia para que possa trabalhar esse sentimento e voltar a ser a mulher desejante.

Amor

coracao.jpg

 

“Sobre a tendência universal à depreciação na esfera do amor”, Freud (1912) destaca características que determinam a escolha da pessoa amada, demonstrando conflitos que ocorrem entre a capacidade de amar e desejar sexualmente o mesmo objeto. A harmonia de uma relação amorosa normal sustenta-se entre o equilíbrio das correntes eróticas e afetivas.

 

Feliz dia de San Valentim!

Duas mulheres

 

niki14.jpg

 

Meu nome é Dani.

Meu marido, certa vez enquanto fazíamos amor, insinuou que queria mais uma pessoa para ficar connosco. Perguntou se eu não gostaria de ter mais alguém para ficar naquele clima que nós estávamos naquele momento, eu ja havia me antecipado minutos antes, dizendo a ele que ele sabia que eu não suportaria ver ele com outra mulher, mas pra minha infelicidade ele insistiu. Minha reação foi imediata, estávamos num clima tão bom, ele dizia que me amava... fiquei sem chão.

Nunca, nenhuma das pessoas que passaram na minha vida me fizeram essa proposta, me senti tão desrespeitada, e ainda não consegui superar. Ontem ele pediu que nós fizéssemos um vídeo, e queria contratar alguém pra gravar, tenho certeza que não passa de uma estratégia pra ver se ele consegue o que quer. Estou muito triste com isso, me senti tão desrespeitada, com a insistência, estou sentindo uma repulsa por ele, um embrulho no estômago quando penso na proposta, sempre fui fiel a ele, sempre o respeitei, fico me perguntando porquê ele insiste em me magoar dessa forma, Dra. Me ajude! Minha autoestima caiu por terra, e eu não sei se levo o relacionamento adiante, penso até em me separar de tanto que estou sentindo-me triste, chateada, magoada, acho que não sou suficiente para ele... sinto-me tão mal, tão invadida. Eu o amo, mas não vou suportar a insistência se ele continuar, já me sinto traída só pelo convite.

Por favor! Me responda, me diga alguma coisa, me diga qualquer coisa, por favor.

 

Cara Dani,

 

O que ele quer é realizar uma fantasia e não significa desrespeito ou que não a ame. De qualquer maneira só vai funcionar se for de comum acordo, se não se sente capaz fale sinceramente com ele para que isso não leve ao fim da relação. Pelo seu relato, não está preparada para essa aventura e isso precisa ser respeitado.

Entendo que seu marido tem uma grande vontade de realizar essa fantasia. Porém, quando envolve outra pessoa, é importante que essa também esteja na mesma sintonia para ser boa para ambos. Quando só um quer, não vai ser bom.

 

Quando o tempo da pessoa não é respeitado, o resultado acaba não sento interessante. Também percebo o quanto isso pode abalar a relação. Não quero dizer que essa prática deve ser abortada, mas sim, que esse tema seja muito discutido entre o casal e que haja uma real vontade de ambos.

Num momento oportuno, valeria à pena seu marido investigar o porquê dessa vontade incontrolável.

 

Um abraço

 

 

Prazer retardado

Tenho uma relação recente com uma mulher fantástica! É uma pessoa dinâmica, forte, persistente e… muito exigente na cama! E aqui nascem os problemas! Sou um homem que gosta de ter tudo sob controlo e não quero que a minha mulher possa sentir-se insatisfeita quanto à minha performance.

 

Para não fazer “má figura” eu procuro retardar ao máximo o meu prazer. Mas descobri que ela não gosta assim, aliás teme que eu não esteja suficientemente excitado. O fato é que não consigo apressar a relação. O que posso fazer?

São Valentim

 
Amar exige partilha, troca, cuidado, carinho e muito diálogo
 
Para festejar o dia dos namorados nada melhor do que ser criativo.
 
A fase do enamoramento é efémera, assim como chega, passa. Não pode-se esperar de sentir “foguetes ” a vida toda. Em continuação pode-se sentir amor, onde impera o respeito, planos e objectivos em comum e muita partilha.
 
Dicas para os namorados
 
•Partilhar o dia a dia e dividir angustias e dificuldades.
•Respeitar e dar espaço a si próprio e ao outro.
•Organizar programas juntos com amigos em comum.
•Dialogar e ter uma atitude positiva diante dos problemas.
 
Verbos do amor
 
Para uma relação feliz é preciso:
 
1 Rir: uma frase engraçada ou um comentário irónico do bem ajudam a diminuir a pressão e pensar
2 Respeitar: cada um ter seu tempo com amigos
3 Desejar manter a intimidade e a cumplicidade no quotidiano
 
4 Dividir: compartilhar tarefas e responsabilidades
5 Superar: superar problemas e acolher o outro
6 Mimar: bom para ambos
7 Admirar: não só do lado estético mas o lado interior, melhor educador, melhor marido, amante especial.
 
O importante não é estar ou não com alguém. É importante estar bem consigo mesmo, pois esse é o primeiro passo para construir, reconstruir ou manter relações saudáveis, o que depende muito do amor que somos capazes de sentir por nós mesmos.

Nunca teve um namorado

 

Salvador Dalí

 

Sou uma rapariga de 23 anos, nunca tive um namorado, apenas uma relação de cerca de um mês, no final da qual sofri muito e ainda continuo a sofrer, porque o rapaz (de quem eu gostava e ele sabia disso) disse que eu não o fazia feliz, disse que cada um tinha de seguir a sua vida, e que eu fui um erro. Custou-me muito ouvir aquilo, não entendo porque não o podia fazer feliz porque tivemos momentos tão bons, ele também gostava de mim e a minha intenção era construir uma relação sólida.  Sou uma pessoa humilde, não sou muito extrovertida, mas também não sou tímida, e graças às minhas amigas deixei de ter problemas de auto-estima, contudo admito que não consigo ser muito espontânea a expressar emoções e a "fazer conversa".
 
Penso que não sou normal, pois nunca consegui ter uma relação. Considero-me inteligente, bem sucedida academicamente,  as pessoas dizem que sou bonita, simpática e boa amiga, dizem que tenho tudo para ser feliz.  
 
Tenho medo da solidão, principalmente agora que sinto o vazio que ficou devido àquela pessoa que quis deliberadamente que eu saísse da sua vida.
 
Dra., o que posso fazer, parece que os rapazes têm medo de se aproximar de mim,  sou uma desilusão e não me enquadro nesta sociedade, e sinto-me sem vida própria. 
 

Atraccão sexual

Gustav Klimt

 

 

 

Olá, Dra. Mariagrazia,

Tentarei ser breve. Eu amo meu marido. Mas sexualmente falando, acho que ele não me atrai mais como antes. Muitas vezes não tenho vontade de ter relação com ele. Parece que até o cheiro dele me desagrada. Mas não vejo minha vida sem ele. Ao passo que, conheci uma pessoa que me atrai muito. Penso sexualmente nesta outra pessoa o tempo todo. Esta pessoa já me convidou para sair diversas vezes, mas ainda não tive coragem. Eu não sei se aceito o seu pedido e traio o meu marido. Eu gostaria de saber se este comportamento é normal e se vale a pena ter relação extra-conjugal para me sentir completa sexualmente.
 
Parabéns pelo site. É de grande utilidade pública.
 
Cumprimentos

Traição da esposa

Edward Hopper

Olá,

 

Segundo ela, a traição não foi física, mas o certo é que começaram a trocar sms em Outubro de 2007 e em Junho do corrente ano, descobri tudo.

 

Ela contou-me que começaram a encontrar-se para tomar café, jantar e sair para almoçar, percorrendo dezenas de km para o efeito. Entre presentes e declarações de amor de parte dele, a minha esposa diz que nunca deixou de me amar mas certo é que se chegaram a beijar…

 

Não sei o que fazer, pois ainda a amo mas não consigo esquecer e pensar que ela poderá repetir a traição.

 

Já saí de casa mas queria reconciliar-me com ela, mas não sei como arranjar provas de que ela agora me fala a verdade.

 

Não sei como outros homens reagiram a uma situação semelhante, e gostaria que me ajuda-se, se poder.

Muito Obrigado

M