Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Consultório de Psicologia

Espaço de transformação com a finalidade de orientar, ajudar, esclarecer dúvidas e inquietações. Encontre equilíbrio, use sua criatividade e deixe fluir sua energia. Mariagrazia Marini Luwisch

Não consigo amar

17.JPG

Tem traumas na vida que eu acho que nunca ultrapassamos, tem certas coisas que acontecem que acabamos por desejar que fosse apenas um sonho, mas infelizmente chega um dia que acordamos e temos que encarar a realidade, mas dói tanto, tanto.

Tem uma hora que percebes que te fechaste para as pessoas que te amam, que fizeste elas sofrerem e as vezes o arrependimento é tanto que entras num mar de lágrimas, choras compulsivamente e mesmo assim a dor não desaparece.

As pessoas magoaram-me tanto, que o meu corpo criou uma barreira para eu esquecer o que eles me fizeram, mas tem vezes que mesmo assim eu choro muito de raiva, eu já não consigo controlar o que sinto, parece que eu vivo sem viver, acordo mas eu não sou eu, eu nunca mais fui a mesma. Rejeitei, ignorei, maltratei a única pessoa que eu sabia que amava, eu sou burra.

Não consigo amar quem eu amo, não consigo esquecer o passado

 

Cara leitora,

 

Não podemos ficar presos no passado e paralisar a nossa vida.

É preciso dar um impulso na vida, sair dos acontecimentos de arrependimento e dos “deverias” assim como os navegadores portugueses tinham de enfrentar quando atravessavam o cabo das tormentas. Os sentimentos negativos das decepções de passado, as perdas e fracassos podem criar uma base de mágoa e infortúnio, levando a que a pessoa perca a esperança e firme a ideia de que é tarde demais para mudar a sua vida para melhor.

 

Apesar de não podermos alterar o que aconteceu, é possível reinterpretar esses acontecimentos de forma a poder aceitá-los, percebê-los e superá-los. Ao entrar neste processo de superação de situações consideradas traumáticas ou angustiantes, vai deixar de se sentir refém do seu passado menos bem conseguido.

O diálogo interno autocrítico de cariz negativo torna-se tão sedimentado, que muitas vezes não percebemos que temos o poder de mudá-lo.

Num estado de negatividade, mesmo aquilo que ainda temos de bom na vida fica afetado, deixamos de olhar para o que ainda faz sentido na vida. Aceite, tenha compaixão e siga em frente.

 

Está sempre em tempo para mudar. Se tem a consciência do que correu mal no passado, é procurar modificar algumas das suas atitudes para tornar o presente e o futuro melhor.

Se não conseguir sozinha procure ajuda especializada. Uma psicóloga poderá ajudá-la a recuperar a sua estabilidade emocional e retomar o rumo da sua vida presente e futura.

 

Fique bem